6.13.2012


Estava faltando a coragem para detalhar aqueles passos que nunca dei. E o que me pergunto é: Esperar é uma boa forma para responder aquelas perguntas indigestas? Naturalmente existe um lado bom no exagero,algumas pessoas por exemplo não dariam tanta importância se tudo não passasse do básico. Quero crer que é possível... Enquanto eu voltava do país dos devaneios, me ocorreu algumas situações, umas delas foi minha permanência aqui. Foram pouco mais de 60 dias deste lado, muitos ao meu ver. A vida acontecendo em uma correria desenfreada, enquanto do outro lado passaram-se apenas míseros 7 dias. Nós ainda temos algum tempo, sendo assim ainda é possível inventarmos uma forma de fazer com que tudo isso pareça um pouco mais interessante. Sim! hoje é o primeiro dia, do resto de nossas vidas. Blessed Be.

4.26.2012

Essa é mesmo Sofia

É sempre difícil escrever sobre Sofia, e confesso que fazê-la voltar é uma tarefa mais árdua ainda. Porém, ela não ficará aqui por muito tempo, pelo menos não o muito que eu esperava que ela ficasse. Sofia ganhou o direito de viver do outro lado das brumas, ganhou o respeito da Senhora dos Devaneios apesar de ainda lembrar bastante aquela menina inocente e confusa que preencheu algumas das minhas histórias prediletas. Pois bem, Sofia recentemente se pegou observandoo o comportamento das formigas, e percebeu que elas faziam mais barulho maior do que o de costume, e tinham uma fome insaciável com um paladar sempre pronto para todas as iguarias culinárias. Antigamente as coisas não aconteciam deste jeito e isso a deixou preocupada. - Sim Srta. Sofia, pode entrar e sentar-se. Fale-me mais sobre a sua próxima viagem!

4.24.2012

Sofia estava arrumando as malas para voltar, ela recolheu alguns de seus melhores livros e seguiu disposta a começar tudo de novo. Ela tinha apenas 10 dias pela frente, e isso parecia ser muito para uma menina que acabou de voltar do país das maças. 17:25 Hrs - Seja Bem vinda de volta Sofia, Blessed Be.

1.30.2012

Às vezes o básico é tão pouco.

Quantas considerações após este mergulho de cotidiano...Não, nenhuma! Eu mesma estive presente ao enterro da consideração a uns dias atrás. Mataram ela de um jeito tão frio e indiferente, que me fizeram repensar a vida.
Eu já tinha assistido a outros enterros, como o do próprio romantismo, este foi muito triste e solitário. É tão difícil aceitar que eles morreram!

As coisas se tornaram estranhas depois que o silêncio passou a deitar na minha cama todos os dias, o barulho deixou de estar no mundo, e passou a existir só na minha cabeça. E ela em um esforço absurdo fica tentando consertar as coisas e enganar meu coração. Desse jeito a gente acaba dormindo iludida com um final feliz, e é uma pena porque ao acordar até os nossos sonhos bons se tornam vilões. Choque de realidade.

Mas o tempo vai passar e se um dia eu acordar no meio de um grande paraíso, talvez é porque me tornei a própria vítima dos sentimentos que um dia eu vi morrer.